cadastre-se: Posts | comentários

Biopolítica: o poder médico e a autonomia do paciente em uma nova concepção de saúde...

Resumo O presente trabalho pretende articular a crítica de Foucault ao que este chamou de “medicalização autoritária de corpos e doenças” ao conceito espinosano de aumento da potência de agir, tendo como horizonte uma reflexão sobre a questão da autonomia dos indivíduos. Se propõe, para isso, a refletir critica e genealogicamente sobre a concepção de saúde e de cura presentes na prática médica atual, assim como sobre o poder médico e a concepção mecanicista e cientificista do corpo e da enfermidade a ele atrelada. A esta concepção, contraporemos uma noção canguilhemiana de saúde ligada à normatividade e de cura ligada à reabilitação. A partir destes deslocamentos, repensaremos as práticas médicas atuais, assim como as concepções de promoção da saúde e de prevenção. Palavras-chave: medicalização, autonomia...

postado em: Jul 31, 2012 | autor: AndreMartins

Filosofia e saúde: métodos genealógico e filosófico-conceitual...

  Resumo A filosofia vem participando das reflexões no âmbito da Saúde Coletiva no Brasil, desde o seu início – seja através de estudos de filósofos específicos que tematizaram questões da saúde, como Canguilhem e Foucault (Machado, 1981), seja na utilização de reflexão de cunho filosófico como apoio para se pensar as questões da área (Luz, 1988; Castiel, 1994; 1999; Ayres, 1995; 1997; Camargo Jr., 2003; Almeida-Filho, 1989; 2000), seja como base filosófica de correntes teóricas gerais da área, tais como o positivismo, o materialismo histórico, a dialética, o estruturalismo, a fenomenologia. Contudo, é fato que a Filosofia não conquistou na Saúde Coletiva o reconhecimento que as Ciências Sociais, e mesmo as Ciências Políticas, conquistaram e consolidaram ao longo dos anos. Se é verdade que a...

postado em: Jul 31, 2012 | autor: AndreMartins

Novos paradigmas e saúde

Resumo Este artigo procura situar os estudos epistemológicos do campo da Saúde dentro de uma história da filosofia e da racionalidade experimental. Através da apresentação de um novo paradigma científico, ontológico e epistemológico – paradigmas quântico e spinoziano, paradigmas da não-separabilidade, da continuidade do descontínuo –, isto é, de uma nova relação entre natureza e cultura e por conseguinte  de uma nova concepção do ser humano, da ciência e da razão, procura propor uma redefinição dos conceitos de vida e de morte, de saúde e de doença. Palavras-chave: Saúde; vida; epistemologia; Spinoza; quântica. ______________________ Abstract New paradigms and health This work wants to place the health epistemology’s studies on the philosophy and experimental rationality history. Since the presentation...

postado em: Jul 31, 2012 | autor: AndreMartins